Bacalhau a Vicentina - Receita e Harmonização

29/04/2020
Bacalhau a Vicentina - Receita e Harmonização

Para incrementar a refeição da família em casa, que tal uma receita clássica? 

O chef Roberto Zucolotto, do La Fermata Bistrô, localizado junto à vinícola Courmayeur, indica o Baccalà alla vicentina.
Ao final da receita, as sugestões de harmonização pela premiada sommelière Renata Formolo.

Baccalà alla vicentina
Sugestão: chef Roberto Zucolotto
Serve: 4 pessoas
 
Ingredientes:
600g de bacalhau
400g de cebolas
3 anchovas
500ml de leite
Farinha de trigo
50g de queijo parmesão ralado
Salsinha picada
Azeite de oliva extravirgem
Sal e pimenta-do-reino
 
Modo de fazer:
1. Coloque o bacalhau de molho por 48 horas, trocando frequentemente a água (a cada 6 horas)
2. Elimine peles e espinhas e corte em cubos.
3. Fatie as cebolas finamente.
4. Numa frigideira, aqueça cinco colheres (sopa) de azeite e desmanche nele as anchovas.
5. Adicione as cebolas e deixar refogar por cerca de 10 minutos.
6. Desligue o fogo e junte duas colheres de salsinha picada.
7. Enfarinhe os pedaços de bacalhau.
8. Em um refratário, despeje metade das cebolas, distribua o peixe por cima e cubra com o restante das cebolas.
9. Regue com o leite, salpique o queijo e tempera com sal e pimenta.
10. Leve ao forno coberto com papel alumínio e deixe cozinhar por uma hora.
11. Retire o papel alumínio e deixe no forno por mais 20 minutos.
12. Retire do forno e deixar amornar antes de servir.
 
Dica do chef:
A versão original é servida com polenta, mas pode também ser servido com torradas de pão, preferencialmente caseiro.
 
Harmonização:
Sugestão: sommelière Renata Formolo
Esta receita é tradicional da região italiana do Vêneto, nascida em 1987, no coração da região de Vicenza. Para esta harmonização, escolheremos um vinho que não domine o sabor do peixe, mas que seja capaz de apoiá-lo e melhorá-lo. Pode-se pensar em um branco bastante intenso de aroma e com boa acidez, como o Courmayeur Essencial Chardonnay, um tinto jovem, como o Courmayeur Acclamè Merlot, suficientemente tânico e que seca a suculência, com acidez não muito evidente e moderado teor alcoólico, ou um espumante como o Courmayeur Executive Extra-Brut, fresco e animado, capaz de suportar o desafio de um prato saboroso, complexo e notavelmente gordo.

 

Posts recentes